LITERATURA // A CULPA É DAS ESTRELAS

O livro de que vos falo hoje será, possivelmente, aquele que demorou mais tempo a sair da prateleira (já o tinha referido no último de literatura, sobre outro livro deste mesmo autor). A Culpa é das Estrelas, de John Green é conhecido pela sua capacidade de sensibilizar as pessoas e eu, como me conheço e sei o quanto me deixo afectar por histórias emocionantes como esta prometia ser, acabava sempre por adiar esta leitura. Até que finalmente aconteceu e irei partilhar tudo convosco.


A Culpa é das Estrelas é narrado por Hazel, uma rapariga de 16 anos com uma vida particularmente difícil: foi diagnosticada no início da sua adolescência com um tipo de cancro terminal, passando o tempo há espera do momento em que ele toma a melhor sobre ela. Forçada pelos seus pais super protectores, frequenta um grupo de apoio a doentes cancerosos onde conhece Augustus, um rapaz carismático e aos olhos de Hazel bem sensual que, rapidamente, se torna uma das personagem principais do livro; a história desenrola-se em torno da relação de Hazel com Augustus, que nos cativa e motiva a continuar a leitura.

As personagens principais, à parte da sua doença, são relacionáveis, apresentando-se como adolescentes normais e tendo alguns dos dramas que qualquer um de nós poderá ter passado por. A Hazel é aquela adolescente típica que quer a sua liberdade e quer sentir o amor em pleno e o Augustus é aquele rapaz adorável que qualquer uma de nós queria que aparecesse na nossa vida: engraçado, bonito e que se dedica em pleno à pessoa que ama.



Os mitos não eram falsos: este livro parte-nos o coração. Não de uma forma fugaz e assertiva, mas devagar e a todos os níveis. Não que o fim não seja espectável (não se preocupem, não dou spoil) até porque o autor nos prepara para o grande desfecho ao longo de toda a história, mas porque esperamos sempre que haja alguma forma de alterar o destino natural das personagens, de alterar o seu destino.

Resumindo: este é um livro para quem gosta de um bom romance que não seja um cliché. Apesar de um tanto ou quanto previsível, merece que lhe dêem uma oportunidade. De fácil leitura mas que, no final, nos deixa a pensar se vivemos a nossa vida em pleno e o melhor que conseguimos.

Já leram este livro? O que acharam da review?

32 comentários:

  1. É dos meus livros preferidos, e quando o li, fiquei mesmo tocada pela história.
    beijinhos
    http://eyeelement.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Eu chorei horrores quando termeinei este livro mas depois apercebi-me que foi por estar naquela altura do mês ahah! Contudo eu não concordo contigo, acho-o o maior cliché dos clichés. Não sei se foi por ler muito YA de seguida ou por já estar demasiado familiarizada com o trabalho do John Green e já estar um bocado ceptica mas parece que ele não sai do mesmo molde! Acho que este romance estava muito John Green meets Nicholas Sparks.

    Para mim o Looking for Alaska é o melhor livro dele, o mais interessante e o menos cliché (mas vá, também foi o que li primeiro, secalhar foi por não estar cansada dele ainda). Já leste?

    Marta Rodrigues, Majestic

    PASSATEMPO LOLITA & LOLITA II DA KVD AQUI!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marta! Nunca li o Looking for Alaska mas já ouvi falar muito bem dele. Acho que será a minha próxima escolha!

      Percebo o teu ponto de vista, e realmente é um pouco Nicholas Sparks mas é o que digo lá em cima: o final é anunciado antecipadamente, nós acompanhamos o processo até ao culminar (não quero dar spoil a quem possa ter lido, mas tu percebes). Não cai como uma bomba como costuma acontecer nos clichés.

      Eliminar
    2. Sim, o climax não é tão clicherizado como costuma ser neste tipo de histórias mas até os próprios diálogos eram um pouco de revirar os olhos por vezes.
      Eu queria imenso que este fosse um dos meus livros favoritos dele, na altura do lançamento até fiz o pre-order para tê-lo assinado (e tenho ahah)!
      Além do Looking for Alaska o Will Grayson, Will Grayson (em que ele é co-autor) também está super interessante. É mais cómico (fez-me rir alto algumas vezes) e tem mais a ver com a descoberta pessoal que tragédias, também recomendo esse!

      Eliminar
    3. Por vezes também me aconteceu, mas não consigo não gostar da personagem do Gus e por isso mantive-me a ler. Lá está, é um bom livro para passar o tempo! Não aprendemos imenso mas também não perdemos nada. Acho que é o equivalente àqueles filmes de domingo à tarde eheh

      Ficam anotadas as tuas sugestões, assim que puder leio!

      Eliminar
  3. Adorei essa nova capa ds segunda edição e é uma história incrível.
    Obrigada pela visita e estou te seguindo como Art of life and books, segue de volta. ♥
    Art of life and books.

    ResponderEliminar
  4. Não li o livro, mas vi o filme e parte-nos realmente o coração!

    ResponderEliminar
  5. Já ouvi falar tanto do livro, e também do filme, mas ainda não me senti tentada a ler ou a ver. Mas eu sou assim,só me dá para ler as coisas ou ver os filmes, passado largos anos, quando o furor passa. Um exemplo, só li os livros do Harry Potter e os filmes, depois de 1 ano de ter saido o ultimo filme, eheh. Logo aí percebi o porquê de tanto fanatismo pela saga. E fiquei fã.
    Beijinho
    www.bloguerosa.com

    ResponderEliminar
  6. Li-o há dois anos e gostei muito! Até comprei logo a seguir outro livro do autor " À procura de Alaska", também é muito bom. ^^*

    ResponderEliminar
  7. Foi dos poucos livros que li e chorei com a sua história!
    Beijinhos,

    A Maiazita

    ResponderEliminar
  8. Eu nunca li este livro e nem sequer vi o filme. Acho que este livro vai mexer demasiado comigo! :(
    THE PINK ELEPHANT SHOE | FACEBOOK | INSTAGRAM |

    ResponderEliminar
  9. Gostei muito da review. Não li o livro ainda, mas ainda gostava de ler (apesar de já ter caído da tentação de ver o filme ;) )

    Beijinhos, Brenda C.
    The Lonely Tree

    ResponderEliminar
  10. não tinha visto essa capa, li a culpa e das estrelas em 2013, comprei sem saber se o livro era bom ou não, ninguém conhecia, na escola onde eu estudava só uma garota tinha lido, e eu me apaixonei, chorei muito, e fiquei chocada quando ele virou essa febre toda que se formou, o meu eu não empresto, ciúmes mesmo. Um livro tão delicioso de ler, tantas frases pra refletir!


    Blog Entre Ver e Viver

    ResponderEliminar
  11. Eu li o livro em inglês e depois também acabei por ir ver o filme e acho que nunca tinha chorado tanto na minha vida a ler um livro! É de facto uma história que toca bastante
    Um beijinho
    wallflowerbyines.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Sim, também é uma ótima forma de organização :D Também tenho que aprender muita coisa nesta âmbito!

    Também o li e foi dos livros da minha vida. Sem dúvida alguma. É tão marcante, tão minucioso que parece que a história está mesmo a acontecer connosco.

    NEW OUTFIT POST | Emerald Green.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  13. Obrigada! ♥
    Apesar de ter adorado o filme acho que ainda ia gostar mais do livro... Deve ser fantástico!
    https://keepcalmandshopvintage.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. O filme é lindo, o livro deve ser maravilhoso.
    Xoxo
    http://myheartaintabrain.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Já quis mil vezes ler. Vi o filme, falta o livro.
    Beijinho *

    thebrunettetofu.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  16. É dos meus livros preferidos sem dúvida e um dos quais nunca me vou fartar de ler ou ouvir falar, adoro simplesmente a maneira como uma história consegue tocar-nos tanto.

    Beijinhos,

    thereisaninsecuregirl.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  17. Está lá em casa para ler mas ainda não comecei! Neste momento estou a ler as Rapariga do Comboio beijinho

    ResponderEliminar
  18. Li o livro com algum cepticismo. Na altura, o alarido à sua volta era tanto que parte de mim já estava saturada sem sequer ter começado. Como o "Looking For Alaska" e o "Will Grayson, Will Grayson" são as minhas obras favoritas do John Green, lá lhe dei uma chance. Ao contrário de meio mundo, não chorei ou fiquei emocionado. Sim, é triste mas, como dizes, o desfecho era mais que óbvio. Não concordo com a questão do cliché. Independentemente de sabermos ou não o que vai acontecer, a narrativa esta carregadinha de clichés românticos. Ainda assim, não deixa de ser uma leitura interessante :)

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  19. Já vi o filme e adorei, agora estou super curiosa para ler o livro!!
    Beijinho grande

    Lara Sofia, www.larasofiaabessa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  20. Nunca li o livro, porque ler não é dos meus passatempos preferidos. Vi o filme, baseado no livro, e adorei e chorei muuuito!

    ResponderEliminar
  21. Já vi o filme e li o livro. Gostei mais do livro, tem mais detalhes e acaba por ser bastante diferente do filme. Passei noites a ler até tarde só para descobrir o fim!
    Beijinhos,
    http://10secondsinmyworld.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  22. Já li o livro e adorei, a história é linda. Também já vi o filme mas como sempre (pelo menos na minha opinião) o livro é melhor.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  23. Adorei sua resenha, ainda não tinha visto essa nova edição e me apaixonei! Dá vontade de comprar ela, mas já tenho a outra kkkkk Achei ela mais bonita do que a que possui a capa do filme, e tb aquela azul do "ok" "ok?"
    Beijão!
    devaneiosdeinverno.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  24. Olá lindona,
    eu não li o livro, mas assisti o filme e me emocionei demais.
    Amei sua forma de resenhar.
    Beijos.

    meumundosecreto

    ResponderEliminar
  25. Apesar de toda a fama, não li o livro nem vi o filme. Parece-me ser uma história muito emocionante, qualquer dia tenho de colmatar esta falha :)

    ResponderEliminar
  26. É um livro que muito dificilmente irei ler, tal como os livros do Nicholas Sparks... tudo isto pelos filmes. Gosto de ler para conhecer novas visões, novas histórias, novas realidades... a partir do momento que vejo os filmes, ler seria quase "mais do mesmo" (embora, geralmente, os livros sejam sempre melhores!). Há muitos outros livros para ler, por isso acabo por "fugir" daqueles que dão grandes filmes xb
    r: Quando escrevi a publicação, ponderei também apresentar um caso que conheço de alguém que não entrou em medicina, mas depois acabei por não o fazer (a publicação já era grande xD). Mas tenho uma amiga que só queria medicina, só se candidatou a isso mesmo, não entrou, estudou um ano inteiro para os exames, trabalhou nesse período para ganhar dinheiro também, e depois lá conseguiu entrar, e está neste momento no seu terceiro ano e feliz da vida. Isso sim, mostra alguma vocação, porque não é qualquer um que se vai "matar" a estudar com aquele objetivo concreto :)

    ResponderEliminar